O que é Muda, Muri e Mura?

Através dos 3M’s: Muda, Mura e Muri podemos reduzir o desperdício e demais tipos de erros, criando um fluxo de produção mais eficaz e que ajude a empresa a atingir seus objetivos.

Imagem mostrando as três vertentes da metodologia 3 M's: Muda, Muri e Mura

A definição dos 3M’s está ligada com o conceito de Lean Thinking, ou pensamento enxuto que surgiu na mesma época do Toyotismo e se tornaria popular ainda nos anos 1990.

Um dos principais objetivos dessas ferramentas de identificação de erros e situações de erros é aplicar soluções para a empresa ter um ritmo de produção eficaz, rápida e livre de desperdícios.

A muda, o desperdício e as soluções certas

O termo “Muda” significa desperdício. Todas as empresas buscam uma produção livre de desperdícios. O fundamento é distribuir bem as funções sem gerar situações prejudiciais.

Aplicando as soluções certas, é possível superar: as sobrecargas, o excesso de material e perda de tempo. Com treinamento, aplicação de plano produtivo correto é possível produzir bem com pouco desperdício.

O importante também é manter colaboradores, máquinas e equipamentos preservados para cada etapa de produção.

Benefícios iniciais

Dentre os benefícios iniciais podemos destacar o alcance de maiores resultados. Esses resultados podem ser mais eficientes, com influência na entrega de produtos com qualidade para o consumidor.

O negócio também se torna mais saudável e com força competitiva para alcançar novos mercados.

Os 3M’s (conceitos iniciais)

A seguir vamos apresentar os 3M’s e suas importâncias de identificação de erros e sobrecargas para o mercado produtor, podendo ser identificados na aplicação de soluções em separado ou de forma integrada.

1 – Muda

O primeiro M é o “Muda”. Essa identificação de erro ajuda a simplificar processos e movimentação de materiais para gerar ganho de tempo e de etapas produtivas.

Lembramos que todas as atividades que precisam de recursos, sem criar valor para o cliente, devem ser monitoradas e até mesmo eliminadas.

A Muda também pode ser identificada na operação de retrabalho, como por exemplo após uma estação de pintura que visa um acabamento aceitável pelo cliente.

Ao identificar determinado erro no processo de produção ou acabamento podemos eliminá-lo aos poucos sem criar erros secundários.

Outro tipo de Muda que pode gerar desperdício de tempo é a movimentação de produtos e estoques entre as etapas de um processo de fabricação e montagem. Essa movimentação poderá ser reduzida para evitar desgastes e perda de tempo.

Nesse caso, esse processo poderia ser substituído por equipamentos de produção e por operadores para uma célula com fluxo mais suave de produção.

Veja mais: Entenda como o layout na produção afeta a produtividade de empresas

2 – Mura

A “Mura” refere-se à ausência de regularidade em uma determinada operação, registrando altos e baixos na programação causados não pela demanda do cliente final, mas pelo sistema de produção em si.

Essa falta de regularidade também pode ser gerada por alternâncias no ritmo de trabalho que tenha alguma irregularidade na operação.

Dessa forma, os operadores podem apresentar picos de trabalho intenso e baixos de ritmo. Essas irregularidades frequentemente podem ser eliminadas.

Cabe aos gerentes dos processos produtivos aplicar programação nivelada e uma atenção cuidadosa ao ritmo de trabalho da equipe de operários.

3 – Muri

O Muri refere-se à sobrecarga de equipamentos e operadores. Quando ocorre, incentiva o trabalho em ritmo mais intenso ou acelerado.

Está ligado ao trabalho com mais esforço por período maior de o que os colaboradores podem suportar no dia a dia.

A combinação dos 3 M’s

Os 3 M’s podem ser combinados para ampliar a previsão de erros, muda e desperdícios. O muda, mura e Muri podem estar relacionados, nesse caso a eliminação de um ajuda a eliminar os outros.

Por exemplo, podemos pensar numa empresa que precisa transportar seis toneladas de material para seu cliente, mas precisa fazer algumas escolhas.

Imagem explicando com exemplo de transporte de cargas a metodologia: Mura, Muda e Muri

A primeira opção seria empilhar todas as seis toneladas em um caminhão e fazer uma única viagem, mas geraria uma situação de “Muri” com a sobrecarregaria o caminhão que aguenta até três toneladas podendo gerar quebras do transporte.

A segunda alternativa, seria realizar duas viagens, uma com quatro toneladas e outra com duas, porém geraria mura a partir da variabilidade na quantidade de material chegando ao cliente gerando congestionamento na doca de recebimento.

Ao mesmo tempo, a segunda opção criaria a Muri lembrando que a viagem de caminhão o manteria sobrecarregado, e muda, pois o ritmo irregular de trabalho causaria o desperdício de espera por parte dos funcionários.

Mas, e o desperdício?

Agora que já temos um conhecimento mais amplo sobre os 3 M’s podemos destacar a questão do desperdício que está ligado a Muda.

Quando falamos em desperdício podemos identificá-lo como muda, esse tipo de identificação pode ser realizado na produção, na gestão, na logística e demais áreas que envolvem produção e resultado.

É capaz de atrapalhar o alcance de resultados em virtude da dificuldade no gerenciamento de tempo, de energia, de matéria-prima, por exemplo.

Também dificulta bastante o processo de deslocamento estando vinculado a qualquer tipo de atividade improdutiva e que não agrega valor ao cliente e poucos resultados para os clientes.

Características da Muda

Essencialmente, a muda está ligada à utilização e alocação de recursos, sejam eles humanos, materiais e financeiros. A sua utilização de recursos não gera retorno para a empresa, podendo gerar mais desperdício.

Esse tipo de desperdício é facilmente encontrado em locais em que os processos não são bem direcionados. Ocorre falhas de comunicação ou inconsistências nos procedimentos de produção.

A seguir vamos falar um pouco mais do Mura e do Muri para você ampliar seus conhecimentos.

Mura

Esse segundo “M” está relacionado, principalmente, à distribuição desigual. A sua identificação simboliza a distribuição desigual dos sistemas de produção, incluindo as cargas de trabalho.

O seu processo de erro pode ocorrer a partir de distribuição desproporcional de atividade e com reveza picos de trabalho intenso com momentos de ociosidade prejudicando os colaboradores.

Vale ressaltar que a Mura envolve colaboradores e equipamentos presentes em vários setores ou na empresa como um todo.

Como resultado ele cria instabilidade de operações, períodos de desperdício de recursos e momentos de ritmo caótico prejudicando toda a empresa.

Muri

O terceiro “M” está ligado, principalmente, com a sobrecarga. Pode atingir pessoas, máquinas, equipamentos, setores e dentre outros aspectos de uma empresa.

O desperdício também pode estar envolvido em última instância em processos inconsistentes e repletos de improdutividades.

Também caracteriza a falta de equilíbrio na distribuição de tarefas.

É resultante de exigência de intensidade ou rapidez nos resultados acima dos limites saudáveis com esforço excessivo.

No processo identificado como Muri temos consequências como problemas de saúde ou lesões além de quebras de máquinas.

Em conjunto, o Muda, Mura e Muri são defeitos nos processos de gestão e processos. Esses 3 M’s precisam ser combatidos e evitados.

Geralmente, eles estão ligados às falhas e inconsistências nas diferentes rotinas da empresa que precisa produzir e atender demandas de mercado.

Normalmente, os procedimentos ligados aos 3 M’s tornam-se em hábitos nocivos nem sempre identificados.

Muitas vezes, a empresa pode se manter em amplo funcionamento por um tempo, mas com o tempo começa a aparecer perda de qualidade dos produtos ou serviços.

Outras consequências

Além da Muda (desperdício), os 3 M’s podem gerar: superprodução, desequilíbrio no estoque, negligência de algumas áreas, concentração de recursos, falta de sintonia na empresa, ausência de engajamento dos funcionários, gastos excessivos com manutenções, doenças e afastamentos de funcionários.

Um esquema mostrando quais são os tipos de desperdícios mais comuns no Lean

A grande consequência é o desperdício presente em todas as etapas produtivas. Mesmo que a Muda seja facilmente identificada pelos gestores e gerentes de produção, ela pode rapidamente gerar a Mura e o Muri, por isso conceituamos profundamente os 3 M’s neste artigo.

Na produção

Quando numa linha de produção há desperdício, há também algum desequilíbrio nos processos ou funções. Podemos afirmar que a Mura influencia o desbalanceamento de resultados sem criar atividades com valor. Uma das ferramentas que podem ser utilizadas para identificar quais processos estão influenciando no fluxo de produção, é a análise de gargalo.

Trabalho intenso

Em ambientes com trabalho intenso, característica de uma ambiente onde há Mura, os colaboradores e as máquinas são submetidos à trabalhos intensos.

Esse ambiente expõe a empresa à perda de qualidade de produtos, serviços e entrega.

Como eliminar os 3 M’s?

A partir da identificação da muda e dos desperdícios, é possível eliminar os 3 Ms a partir de um plano de ações. É importante identificar todos os erros para eliminar os bloqueios e riscos sobre a produtividade e, dessa forma, otimizar todo o funcionamento.

Como eliminar a Muda?

A Muda pode ser combatida por todos os envolvidos a partir de interferências da gestão.

Inicialmente, é fundamental a elaboração de um plano para estudar os processos e atividades desempenhadas, a composição das equipes, a distribuição das funções, a descrição de todas as máquinas e equipamentos, o levantamento dos recursos materiais e financeiros.

Combinação com Poka Yoke

Para combater esses erros, podemos aplicar a metodologia Poka Yoke, a qual surgiu nos anos 1960, quando Shigeo Shingo, liderava a produção da Toyota.

Essa ferramenta gerencial ajuda a diminuir falhas humanas e diminuir a quantidade de produtos defeituosos.

Método Kaizen

O método Kaizen também atua contra desperdício através da redução de custos e aumento de produtividade. Esse método estimula as pessoas a melhorarem o seu desempenho e desenvoltura em suas atividades.

Conclusão

Portanto, todas as empresas buscam o melhor ambiente possível para melhor o fluxo de trabalho e de produção. Sobretudo, é fundamental que os 3 M’s sejam combatidos com a participação coletiva.

O esforço inclui avaliação das alterações que serão implementadas, busca pela resposta junto aos colaboradores e aplicação de melhorias para eliminar os desperdícios. É importante identificar se na empresa há casos de Muda, Mura e Muri.

Continue lendo: Aprenda como o Lean e os 3M’s são aplicados em um hospital público.

Brainstorming

 

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.