Lean Heathcare: Entenda o que é e como está sendo implementado na saúde

O Lean Heathcare significa “assistência médica enxuta” e se inspira nas melhores experiências da filosofia do Lean Manufacturing que visa a produção enxuta para reduzir desperdícios, custos e desvios de qualidade.

Inicialmente, a utilização dos projetos enxutos nas unidades de saúde ajuda a minimizar o desperdício em todos os processos, procedimentos e tarefas.

Ajuda também a implementar um sistema contínuo de melhoria, elevando também a qualidade do atendimento.

Neste artigo falaremos mais sobre a aplicação da filosofia Lean na área de saúde e de assistência médica como um todo.

O Lean Heathcare

A assistência médica enxuta é aplicada através de princípios, conhecimentos e práticas enxutas envolvendo todos os membros da organização que desenvolve e presta serviços de saúde.

Quando falamos em membros da equipe nos referimos às equipes de operações, área clínica e administração, com conhecimento e orientação para identificação de resíduos e eliminar qualquer objeto ou processo que não agreguem valor aos pacientes (clientes).

Agregar valor

Um dos principais mantras do Lean Manufacturing é reduzir gerando valor. O setor de saúde é muito sensível a conviver com questões insustentáveis relacionadas ao excesso de gastos, principalmente, com procedimentos, processos, material e equipe.

Além de sobrecarregar as contas de um hospital ou de uma agência prestadora de seguros de saúde, o excesso e o desperdícios podem sobrecarregar a atuação das equipes de trabalho e prejudicar a qualidade do atendimento oferecido para o cliente final.

Veja mais: Gostou da filosofia Lean? Conheça mais e se torne um especialista Lean Manufacturing com nosso treinamento.

Benefícios iniciais do Lean Healthcare

Dessa forma, a aplicação do Lean Healthcare se baseia nos princípios da fabricação Lean, gerando benefícios iniciais fundamentais que ajudam a controlar os custos e agregar valor aos pacientes.

Um dos principais focos é elevar a satisfação do cliente, abrangendo pacientes e pagadores, e gerar lucro junto com a satisfação do cliente.

Permite a eliminação do desperdício em todos os níveis de uma organização. Fortalece a aplicação de princípios enxutos, incentivando a adesão de alto nível de dedicação de todos da equipe.

Cultura organizacional do Lean Healthcare

Na evolução da implementação do Lean Heathcare, a adesão de todos os membros da equipe de uma organização permite incorporar novas práticas à cultura da empresa.

Essa incorporação na cultura da empresa ajuda, positivamente, na geração de inovação de processos, organização e treinamento, e inovar é algo sempre possível em diferentes tipos de trabalho e aplicações.

A implementação positiva

Dessa maneira, o processo de implementação da assistência médica enxuta gera nas empresas a possibilidade de aprimorar a satisfação do paciente e do cliente conforme as decisões e processos se tornam cada vez mais focados no paciente.

Lean Six Sigma na área da saúde

Uma imagem mostrando o que é o Six Sigma

Os termos Lean e Six Sigma são frequentemente usados ​​em conjunto na área da saúde e em outros setores para criar melhorias, mas eles fazem isso de maneiras diferentes.

A filosofia Six Sigma, por sua vez, refere-se a um sistema orientado por métricas usado para reduzir erros médicos e remover defeitos dos processos envolvidos na prestação de cuidados.

A filosofia Lean já explicamos nos tópicos anteriores, ela é dedicada à produção enxuta focando na melhoria contínua com redução de desperdícios e geração de valor para o cliente.

Porém, as duas metodologias são utilizadas para otimizar as operações e aumentar o valor para os pacientes. Da mesma forma que elas são aplicadas em processos de produção de produtos e serviços variados, elas também podem ser aplicadas no setor de saúde.

Porém, enquanto o Lean Manufacturing se dedica na eliminação de desperdícios, o Six Sigma procura reduzir a variação diminuindo os defeitos para uma medida estatística específica.

Evolução no mercado

Considerando a aplicação dessas metodologias, nos últimos vinte anos, os dois sistemas foram combinados no processo de aprimoramento híbrido chamado “Lean Six Sigma”.

Essa combinação tem contribuído muito também para o modelo de Lean Healthcare beneficiando profundamente as áreas de saúde, desde o setor de recepção até a sala de cirurgia, entre outros departamentos que compõem um hospital, uma rede hospitalar, um plano de saúde e uma seguradora de saúde.

Ressaltamos que nos tempos recentes, os dois modelos foram combinados para otimizar resultados.

Exemplos de sucesso do Lean Healthcare

Quando falamos em benefícios e resultados, nada melhor do que citar um exemplo real.

As empresas que aplicam os princípios da metodologia enxuta na área da saúde estão obtendo excelente resultados.

Uma dessas empresas é a Virginia Mason, criadora do Virginia Mason Production System (VMPS). Os seus gestores declaram que a filosofia Lean é a melhor aplicação de organização melhorando a gestão, a administração, a orientação da prestação de serviços gerais e especializados e elevando a qualidade para o cliente em toda a cadeia de serviços.

A aplicação do Lean Healthcare é a melhor abordagem geral para a melhoria da saúde, porque valoriza todos os membros da equipe de assistência ao paciente e pode ser implementado por qualquer pessoa.

Lean VS Six Sigma

Quando comparamos as duas metodologias, inicialmente, ao contrário do Six Sigma, o Lean não requer métodos estatísticos avançados, treinamento caro ou plataformas e sistemas caros.

Sendo assim, os melhores valores Lean podem ser aplicados de forma incremental em uma jornada contínua em direção à assistência médica baseada em valor.

Cada etapa e conjunto de ocorrências que envolvem assistências e demais tipos de interação com o paciente representam oportunidades para o cultivo de valor e a redução de desperdícios.

A metodologia enxuta

Lean Health Care

Na área de saúde, vamos, através da metodologia enxuta mais profunda orientar os seus referidos gestores a desenvolverem melhorias contínuas de processos e evolução positiva para o negócio.

Quando os gestores decidem aplicar o Lean Heathcare na área da saúde e revisar processos e sistemas através da lente dos oito resíduos, as organizações podem potencialmente atingir os seguintes benefícios:

– Redução de tempo de espera

Seguindo os princípios Lean, sempre que pacientes ou funcionários são obrigados a aguardar, o desperdício acontece, principalmente, quando a espera é longa.

Os pacientes sentados em áreas de espera, reuniões paralisadas para retardatários, listas de espera de consultas e equipamentos ociosos de alta tecnologia são áreas que representam oportunidades para as organizações de saúde aproveitarem a criatividade e a imaginação de suas equipes para reduzir o desperdício.

– Minimização do inventário

No setor de saúde, o inventário representa o capital vinculado e o custo de armazenamento. Esse inventário abrange os suprimentos e medicamentos excedentes, equipamentos supérfluos, dados estranhos ou pilhas de formulários pré-impressos são traduzidos em resíduos de estoque.

Por outro lado, o estoque excessivo ou mal administrado aumenta o risco de perda por roubo ou obsolescência. Os funcionários de toda a organização podem ser treinados para reconhecer excesso de estoque e encontrar novas maneiras de reduzi-lo.

– Erradicar defeitos para melhorar a qualidade

As falhas presentes no processo ou no sistema como erros médicos e diagnóstico incorreto são exemplos de desperdício de defeitos nos serviços de saúde.

Essas condições adquiridas na área da saúde, como coágulos e infecções no sangue, erros de medicação ou em cirurgia , readmissões evitáveis, reações alérgicas evitáveis, registros médicos incompletos ou errôneos, todos ilustram os resíduos defeituosos na área da saúde.

Conforme o cliente (paciente) avança no processo de atendimento no sentido de pagar por modelos de desempenho que recompensem ou penalize os resultados do atendimento.

As organizações e instituições de saúde podem aproveitar os princípios enxutos para mobilizar todos os funcionários para erradicar o desperdício de defeitos e melhorar a qualidade para impactar positivamente os resultados e, o mais importante, para evitar erros.

– Transporte

Nesse quesito, a empresa pode diminuir a mobilidade de pacientes, suprimentos e equipamentos para melhorar o fluxo de pacientes.

O transporte pode gerar desperdícios? Sim, pode. O transporte na área de saúde envolve a movimentação desnecessária de pessoas, suprimentos e equipamentos médicos.

A mobilidade de pacientes para diferentes departamentos e a corrida para coletar suprimentos também aumentam o risco de lesões de pacientes ou cuidadores, gerando atrasos no atendimento.

– Economia de tempo evitando acidentes e lesões

Sabemos que o desperdício em movimento ocorre sempre que os funcionários do hospital realizam movimentos dentro de seu espaço de trabalho que não agregam valor aos pacientes.

Dessa forma, o desperdício pode ocorrer para alcançar ou inclinar-se para pegar suprimentos e equipamentos usados ​​com frequência, no ritmo de aumento da caminhada devido ao projeto inadequado do edifício ou transferências não ergonômicas de pacientes entre camas, cadeiras de rodas ou mesas de operação são exemplos potenciais de desperdício de movimento.

– Maximização de recursos

Ou tipo de desperdício está ligado ao da superprodução ou redundâncias. Essa situação pode gerar momentos inadequados.

Sendo assim, o preparo de medicamentos para um paciente que recebeu alta, duplicar testes ou prolongar a permanência hospitalar além da necessidade médica são exemplos de superprodução que as organizações de saúde podem enfrentar.

– Excesso de processamento

É importante remover o desperdício do excesso de processamento, lembrando que o excesso de processamento ocorre quando um trabalho desnecessário entra no tratamento de pacientes.

A realização de testes desnecessários, preenchimento de formulários diferentes com as mesmas informações e realização de entrada de dados em mais de um sistema são exemplos. Enfatizamos que o uso de esforço e recursos não aumentam a qualidade do atendimento ou melhoram os resultados do paciente.

A gestão precisa visualizar os processos através das lentes do Lean Healthcare (assistência médica enxuta), e assim identificar processos repetitivos, redundantes ou menos valiosos para economizar tempo e dinheiro.

Compreendendo o desperdício

Quando a gestão compreende o ciclo do desperdício, ela conseguirá focar nas soluções, na melhoria e na redução de desperdícios.

O tempo das equipes

Quando o tempo dos trabalhadores é ocupado por qualquer um dos motivos apresentados nos tópicos anteriores, os membros da equipe não conseguem usá-lo para alavancar sua criatividade e talentos no trabalho que promove o atendimento ao paciente e operações otimizadas na organização.

O desperdício na assistência médica

Devemos enfatizar que o desperdício na assistência médica diminui o tempo que os funcionários poderiam usar para atividades educacionais, de treinamento ou construindo relacionamentos com os pacientes ou  até implementando melhorias baseadas em sistemas.

A implementação de uma cultura nova

A implementação de uma nova cultura enxuta não apenas gera mais melhorias na qualidade dos cuidados e na redução de custos, como também gera uma melhora no moral e no comprometimento dos funcionários.

Princípios enxutos na área da saúde

A aplicação da filosofia Lean tem evoluído bastante no setor de saúde em todo o mundo.

Desde que os primeiros pioneiros compartilharam seus aprendizados no Global Lean Healthcare Summit em 2007, mais e mais organizações de saúde implementaram métodos enxutos em seus processos.

A grande missão é obter controle sobre custos e melhorar a qualidade e os resultados dos cuidados, através de uma abordagem ponderada para adaptar essas inovações ao ambiente hospitalar.

Conclusão

Portanto, a aplicação do Lean Heathcare cria melhores ambientes e cultura organizacional para as instituições, equipes de trabalhos, setores e gestores da área de saúde.

Com o passar do tempo, o principal objetivo passa a ser a eliminação de etapas e processos que não contribuem para a satisfação do paciente e o atendimento superior.

Os gestores e líderes desse setor devem enxergar as perspectivas dos médicos da linha de frente para fornecer novas ideias.

As organizações e empresas do setor de saúde estão utilizando a filosofia Lean de maneira eficaz para aproveitar o capital intelectual coletivo de todos os membros de sua equipe.

Busca, essencialmente, maximizar o valor para os pacientes e desacelerar a trajetória de custo insustentável da assistência médica a curto, médio e longo prazo.

O caminho para a empresa e agência de saúde é estar preparada com uma infraestrutura enxuta que atenda aos desafios internos e externos que ocorrem diariamente no processo de direcionamentos e atendimentos.

É indicado instituir um escritório ou central de gerenciamento de projetos para supervisionar cada etapa de ciclo produtivo de serviço e atendimento, com a identificação ininterrupta de projetos enxutos que possam elevar o grau de eficiência.

Neste artigo, podemos apresentar os conceitos e as melhores perspectivas no processo de aplicação da metodologia Lean, incluindo a combinação do Six Sigma, nos serviços de saúde e de atendimento médico.

Leia mais: Separamos um estudo completo sobre a implementação do Lean Healthcare, abordando assuntos como: processos, dificuldades, barreiras e definições.

CEO

 

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.