O que NÃO fazer na Educação Ambiental de Empresas

A Educação Ambiental se tornou ao longo dos últimos anos uma real necessidade para empresas de praticamente todos os portes. Isso porque, sua implementação na prática se mostra uma ferramenta para gestão sustentável.

Educação Ambiental

Quer dizer que por meio de sua adesão é possível reduzir eventuais impactos ao meio ambiente. Dessa forma, todas as frentes que se envolvem no contexto organizacional experimentam uma série de benefícios.

De um lado a empresa se beneficia muitas vezes com aumento nos lucros e melhoria nas condições de trabalho oferecidas. Enquanto isso, a sociedade em si ganha uma nova perspectiva em relação ao bom uso de recursos ambientais.

Mas o que necessariamente isso significa na prática? Na sequência falaremos sobre isso, destacando também o que não deve ser feito em um contexto de Educação Ambiental em empresas. Confira!

Entendendo a Educação Ambiental nas empresas

Antes de qualquer coisa, devemos considerar que atualmente as questões ambientais ganham cada vez mais espaço na sociedade.

Isso porque, em função dos altos índices de poluição, crescimento na temperatura média do planeta, e do próprio aquecimento global, este assunto de fato não pode ser deixada em segundo plano.

Mesmo porque tudo isso está diretamente relacionado à situação de muitas empresas. Elas de certa forma ao longo dos anos contribuíram para que problemas como esse atingissem níveis alarmantes. Isso já não é algo aceitável.

O detalhe, porém, é que para muita gente o assunto Educação Ambiental ainda remete a uma sala de aula e ensinamentos básicos em escolas primárias. Essa, porém, não é mais a realidade.

Diante de tudo o que foi dito, tornou-se necessário que esse tipo de assunto se tornasse mais presente em outras esferas sociais, incluindo a empresarial.

Isso foi endossado pela Lei da Educação Ambiental (n° 9.795), que tratou da importância deste conhecimento em um contexto corporativo.

A ideia é alertar escolas e universidades sobre a importância de uma conscientização ambiental, mas sem deixar de lado o papel das empresas nesse contexto.

E então como funciona a Educação Ambiental nas empresas?

Entendida a primeira parte em relação à questão da Educação propriamente dita, chegamos ao ponto em que se dá sua aplicação no contexto corporativo.

Nesse caso, é importante dizer de antemão que não são apenas organizações ligadas ao meio ambiente ou a processos fabris que devem se atentar a essa questão.

De modo geral, todo negócio, de alguma maneira, costuma causar algum tipo de impacto ao meio ambiente. Isso pode se dar tanto no descarte do lixo quanto no tipo de material descartado, considerando o seu tempo de decomposição, por exemplo.

Diante desse cenário, é fundamental que toda empresa considere a adoção de uma consultoria ambiental para melhorar os seus processos no ponto de vista sustentável.

Felizmente, essa já é uma preocupação para muitas organizações no Brasil, foi o que mostrou uma pesquisa da UniEthos.

O levantamento apontou que 69% das empresas do país já reconhecem a importância da sustentabilidade no processo de planejamento de suas atividades. Isso significa que estão dispostas a levar conhecimento sobre preservação do meio ambiente aos colaboradores.

Não obstante, tal informação também demonstra que as organizações também visam trabalhar na criação de novos perfis de cidadãos.

Isso significa, educar os funcionários não só para que trabalhem de acordo com políticas sustentáveis, mas também adotem esse pensamento para qualquer área da vida.

Mas como seria possível fazer isso? É a pergunta que a maioria se faz quando se depara com essa questão. Nesse caso, podemos dizer que o primeiro ponto para uma implementação efetiva é fazendo palestras e oferecendo mini-cursos.

Para tanto, porém, é importante escolher bem quem serão os profissionais responsáveis por essas atividades.

O motivo é que não se trata de um tema capaz de causar empatia rapidamente, pelo que, é preciso jogo de cintura para que se transmita a mensagem de modo efetivo.

A dica, portanto, é contratar pessoas do ramo que sejam capazes de transmitir informações fundamentais de maneira não maçante. Isso inclui apresentar indicadores ambientais e metas de minimização de gases e lixo, sem contar a implementação de medidas da empresa para melhorar esse contexto.

O objetivo é que tudo isso se traduza em benefícios como:

● Colaboradores mais engajados e antenados com causas ambientais;
● Criação de uma imagem mais amigável frente a possíveis consumidores e clientes;
● Minimização ao risco de acidentes ambientais; e
● Maior possibilidade de desenvolvimento de parcerias com empresas e ONGs ligadas à causa.

Resultado da Educação Ambiental no meio corporativo

Com base em um sólido programa de Educação Ambiental para empresas, é possível obter uma transformação profunda na maneira de pensar e agir dos colaboradores. Na prática, isso vai significar a melhoria na solução de problemas relacionadas a questões ambientais.

Educação Ambiental
Educação Ambiental

Isso porque os funcionários ficarão inclinados a buscar sempre soluções que se adequam às normas previstas na causa ambiental. Dessa forma, até mesmo problemas que à primeira vista pareciam complicados, podem ganhar soluções criativas.

Em consequência disso, a organização pode experimentar uma considerável redução nas infrações ambientais. Isso não só melhora sua aparência frente à sociedade, como também permite a otimização de resultados.

O que não fazer

Entendido o potencial da Educação Ambiental, e tudo o que ela significa dentro das rotinas corporativas, é hora de entendermos o que não fazer. Para tanto, listamos nos próximos tópicos alguns conceitos e atitudes que devem ser evitados na hora de adotar medidas nesse sentido.

Veja!

Preconceito com material reciclável

Muitas organizações acreditam que optar por material reciclável é um “tiro no pé”, uma vez que isso eventualmente pode encarecer processos. A verdade, porém, é que é exatamente o contrário.

Materiais recicláveis muitas vezes podem reduzir custos e aumentar a lucratividade. Isso porque os produtos são mais valorizados pelos clientes, o que aumenta a percepção de valor.

Desconsiderar o peso da poluição ambiental

Acreditar que a contribuição da empresa para a poluição ambiental é pequena demais, seguramente é um dos maiores erros. Dito isso, trata-se de mais uma coisa a ser evitada por organizações que pretendem se inserir na Educação Ambiental.

Ignorar a sustentabilidade empresarial

Por último, mas não menos importante, uma organização também não deve ignorar a sustentabilidade empresarial em favor da sustentabilidade ambiental. Isso significa que nenhuma empresa precisa sacrificar o futuro da empresa para aderir às causas ambientais.

O ideal é que soluções criativas sejam debatidas para que sustentabilidade ambiental e empresarial andem de mãos dadas.

Conheça mais sobre o Yellow Belt: https://www.gradusct.com.br/treinamentos/yellow-belt-o-que-e/

Saiba mais em: https://www.gradusct.com.br/?p=7320&preview=true

probabilidade

10

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.