WCM World Class Manufacturing: sabia tudo sobre este sistema

O QUE É O WCM?

O WCM é a melhor opção para enfrentar um cenário global de alta competição que vivemos atualmente, onde as escalas são globais posição cada vez mais agressiva dos competidores, e com as empresas obrigadas a fornecerem a seus clientes, além de preços adequados, produtos de alta qualidade e no menor prazo.

O World Class Manufacturing é um conjunto de princípios e técnicas para gerenciar processos operacionais de uma empresa.

wcm

Assim como o Lean, e o “Sistema Toyota Produção “(TPS), o WCM também nasceram na Toyota. O primeiro registro do termo WCM foi feito por Richard Schonberger, responsável pela introdução de diferentes métodos de produção nipônicas, como o just-in-time, nos Estados Unidos. .

Escreveu vários livros, entre eles, “World Class Manufacturing: The Lessons of Simplicity” aplicado “, como resultado de suas experiências nos EUA.

World Class Manufacturing (Manufatura de Classe Mundial) também pode ser descrito como um programa de mudança designado para alcançar um modelo mundial que funciona como um sistema de gestão integrado para a redução de custos, otimizar a Logística, Qualidade, Manutenção e Produtividade para um novo patamar através de um conjunto de métodos e ferramentas.

Baseia-se em 3 elementos essenciais:

  • 1. combate sistemático a cada desperdício e prejuízo existente em toda a cadeia (cliente-fornecedor-fornecedores).
  • 2. envolvendo e desenvolvimento de suas capacidades das pessoas.
  • 3. uso rigoroso de métodos e ligas adequados às ineficiências do processo.

WCM envolve todos os empregados com o conceito de melhoria contínua, focando eliminar desperdícios, reduzir as perdas e ao mesmo tempo melhorando os padrões e métodos.

WCM não é um projeto (isso nunca acaba).

WCM é um programa, um sistema integrado, o caminho para a Manufatura!

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

O WCM pontua a aplicação de cada um dos pilares. Desta forma, a aplicação dos conceitos se torna mensurável. A pontuação é dada com base em NÍVEL DE DETALHE e NÍVEL DE EXPANSÃO das atividades de cada um dos pilares.

São realizadas auditorias externas duas vezes ao ano e a pontuação varia de 0 a 5 pontos para cada um dos pilares (Técnicos e Gerenciais).

A exemplo temos:

  • Pontuação Total da fábrica:
    Maior/Igual a 50 pontos: Bronze
    Maior/Igual a 60 pontos: Prata
    Maior/Igual a 70 pontos: Ouro
    Maior/Igual a 85 pontos: World Class

PILARES TÉCNICOS

  • São 10 no total:

wcm

1) PILAR SEGURANÇA:

  • melhoria do ambiente de trabalho e eliminação de condições de acidentes.

Por que se faz?

  • Para assegurar integridade física e psíquica do operador através da criação de um ambiente de trabalho totalmente seguro e controlado.

Principais Objetivos:

  • Reduzir drasticamente o número de acidentes/incidentes.
  • Avaliação de riscos
  • Reduzir e controlar condições e atos inseguros na empresa.
  • Desenvolver cultura preventiva e proativa para a segurança

Principais atividades:

  • Nova avaliação de riscos, inclusive preditivo e resolução sistemática dos incidentes.
  • Classificação de áreas através matrix SWO, Auditorias SMAT, monitoramento periódicoe pirâmide Heinrich.

2) PILAR DESDOBRAMENTO DE CUSTOS:

  • identificação, análise e redução dos custos

Por que se faz?

  • Para que a organização alcance um melhoramento efetivo através da identificação de todas as perdas do sistema produtivo, e priorize as que oferecem o maior potencial de redução de custos.

Principais Objetivos:

  • Identificar e localizar as perdas (matriz de perdas) e a melhor metodologia de ataque para redução.

Principais Atividades:

  • Elaboração Matriz  (A; B; C; D; E; F; G)
  • Desenvolvimento de competências para vincular e combater as perdas mais significativas cada vez mais.
  • Elaboração de orçamento do próximo ano.
  • Plano de redução de custos (5 anos)

3) PILAR MELHORIA FOCADA:

  • atacar as perdas mais importantes do sistema produtivo, aplicar técnicas, instrumentos e métodos específicos para solucionar problemas de dificuldade crescente em relação à complexidade das causas.

– Por que se faz?

  • Para fornecer recursos metodológicos adequados para o combate às perdas conforme priorização do Desdobramento de Custo , monitorar os projetos (benefício /custo/ economia), e buscar ferramentas de resolução mais sofisticadas para os problemas crônicos.

– Principais Objetivos:

  • Fornecer o método correto à cada perda encontrada.
  • Melhoramento da performance dos equipamentos e do sistema produtivo.
  • Crescimento profissional e aquisição de métodos eficazes.
  • Suporte metodológico a todos os pilares.

– Principal atividade:

  • Disponibilizar e treinar grupos de pessoas competentes para o desenvolvimento de projetos.
  • Monitorar o andamento dos projetos.
  • Garantir suporte metodológico aos grupos.
  • Validar os resultados: benefício x custos.

4) PILAR MANUTENÇÃO AUTÔNOMA:

  •   melhoria da eficiência dos equipamentos.

– Por que se faz?

  • Para melhorar a eficiência global dos equipamentos através da restauração das condições de base, e na observância contínua de atividades básica de limpeza, inspeção e lubrificação realizadas pelos operadores e com o envolvimento dos mantenedores.
  • Esse pilar está orientado para o desenvolvimento de competências dos operadores para a melhoria de produto, processo e equipamento.
  • Os equipamentos têm que estar em perfeitas condições de uso.

– Principais Objetivos:

  • Redução de quebras devido a falhas.
  • Zero quebra.
  • Melhorar a eficiência global dos equipamentos (OEE).
  • Garantir a qualidade do produto.
  • Aumento vida útil dos equipamentos.
  • Melhoria da motivação e moral.

– Principal atividade:

  • Criar os grupos e  treina-los.
  • Desenvolver as atividades de limpeza inicial.
  • Eliminar as fontes contaminação e áreas de difícil acesso.
  • Aplicar ciclos eficazes e sustentáveis de limpeza, inspeção, reaperto e lubrificação

5) PILAR MANUTENÇÃO PLANEJADA:

  •  reduzir avarias, aumentar eficiência das máquinas, diminuir custo de manutenção.

– Por que se faz?

  • Para que a organização seja dotada de máquinas perfeitas.
  • Este pilar atua na restauração das condições originais dos equipamentos feita por mantenedores competentes.
  • A tendência com as atividades implementadas é provocar o aumento do MTBF e a redução do MTTR .

– Principais Objetivos:

  • Redução das avarias dos equipamentos.
  • Aumento MTBF  e redução MTTR.
  • Zero quebra.
  • Aumento manutenção planejada.
  • Elaboração do plano manutenção preventiva.
  • Aumento competência dos mantenedores.

– Principal atividade:

  • Analise causa raiz das quebras.
  • Plano desenvolvimento das competências mantenedores.
  • Inter-atividades com os operadores de manutenção autônoma.
  • Atividades para restabelecimento da condição original dos equipamentos.
  • Plano manutenção preventiva.

6) PILAR ORGANIZAÇÃO NO POSTO DE TRABALHO:

  • melhorar o clima de trabalho e facilitar as atividades, eliminando desperdício e crescimento produtivo.

Por que se faz?

  • Para melhorar a eficácia do sistema produtivo, através de melhorias trabalhamos com o uso do 5S, e a eliminação das atividades do NVAA (Não valor agregado).
  • Neste componente, se estabelece uma “zona de ouro” para os operadores fazerem seu trabalho, ou seja, tudo tem que estar ao alcance do operador:  ferramentas, materiais, dispositivos, etc.
  • Aumento da qualidade do produto, com a ajuda da implementação de dispositivos à prova de erros (Poka-Yokes).
  • Redução NVAA.
  • Ergonomia e segurança do trabalho.
  • Melhoria dá motivação e moral.

-Principal atividade:

  • Aplicar 5S.
  • Eliminar o NVAA.
  • Melhorar o ciclo de trabalho e qualidade do produto.
  • Implementar JIT.

7) PILAR CONTROLE DE QUALIDADE:

  • – assegurar produtos que garantem a máxima satisfação dos clientes.

– Por que se faz?

  • Para ter produtos de qualidade para os clientes, minimizando os custos de fabricação, e mantendo as condições definidas para a conformidade do produto no tempo certo.
  • Este pilar apresenta um conjunto de métodos e ferramentas para garantir que todas as entradas dos processos estejam bem controladas e monitoradas. (soluções de controle robustas para os 4Ms).

– Principais Objetivos:

  • Redução significativa de defeitos, refugos e retrabalhos.
  • Zero defeito.
  • Aumento da satisfação do cliente.
  • Processos robustos e protegidos contra problemas qualidade.
  • Controle 100% dos processos.

– Principal atividade:

  •  Identificação e priorização das perdas através da matrix QA .
  •  Definir condições operacionais que assegurem a qualidade desejada e a capacidade de processo (matrix QM).
  •  Elaborar matrix X matriz e QA network (controle pontual processo).

8) PILAR LOGÍSTICA E SERVIÇO AO CLIENTE:

  • produzir um fluxo eficiente
  • alinhar as variáveis envolvidas no processo
  • reduzir o estoque e a possibilidade de danos aos produtos.

– Por que se faz?

  • Para garantir o atendimento ao cliente com fluxos enxutos, menor lead time e menores custos.
  • Este pilar desenvolve-se a partir de atividades de reorganização dos processos (Mapa de Fluxo Valor)  para se assegurar o melhor fluxo.
  • Ainda, traz várias metodologias do sistema Toyota de produção, como JIT, Milk Run, materiais handling, layout, etc., que permitem alcançar excelente performance com redução drástica dos estoques, movimentação, transporte e, como consequência, redução dos estoques.
  • Este pilar provoca a participação de toda a cadeia cliente-fornecedor.
  • Redução Lead time.
  • Redução estoques.
  • Redução custos logísticos: handling, transporte e nivelamento da produção conforme mix.
  • Minimizar movimentações internas.
  • Integrar as redes de venda, produção e compras

– Principal atividade:

  • Aplicar o mapeamento fluxo valor.
  • Melhorar sistema programação interna e externa, os layout e as embalagens.
  • Implementar principais metodologias: JIT ,milk run, classificação dos materiais, fluxo abastecimento, kanban e FIFO.

9) PILAR GESTÃO PREVENTIVA DOS EQUIPAMENTOS:

  •   ter equipamentos confiáveis, de fácil manutenção, diminuir o custo de vida dos equipamentos.

– Por que se faz?

  • Para garantir que os projetos de novas aquisição forneçam equipamentos ou dispositivos de melhores performances produtivas, e de classe mundial.
  • Ex: Para uma necessidade de aquisição de um novo equipamento, este pilar deve desenvolver projetos de equipamentos à altura das melhores referencias mundial, como produtividade, custos, qualidade e manutenção.
  • Deve-se buscar reduzir lead time entre a concepção e produção, bem como a curva de aprendizado do equipamento.

– Principais Objetivos:

  • Redução lead time
  • Redução da curva de aprendizado do equipamento.
  • Equipamentos mais confiáveis e de fácil manutenção e setup.
  • Equipamentos de melhores performance produtiva, sustentável e ecologicamente corretos.
  • Equipamentos, simples, flexíveis e de baixo custo.

– Principal atividade:

  • Criar os grupos e treiná-los.
  • Envolver a Engenharia para projetos dos equipamentos.
  • Definição conforme exigências do usuário (manutenção, qualidade, produção, custos, etc.).
  • Integrar fornecedores no projeto.
  • Desenvolver e monitorar todas as etapas do projeto

10) PILAR DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS:

  •  Tratar da essência do sucesso do Programa WCM.
  • Uma vez desenvolvidas várias atividades para o melhoramento de processos, máquinas e materiais, torna-se necessário desenvolver pessoas competentes à medida do grau requerido.
  • Este pilar visa então, assegurar através de um sistema estruturado de desenvolvimento e treinamento , as corretas competências e habilidades para cada posto de trabalho.
  • Deve ir além, e promover a formação de especialista como agentes principais da difusão do conhecimento WCM para todos.

– Principais Objetivos:

  • Reduzir ao máximo os problemas devido ao erro humano, inclusive atos inseguros.
  • Formar pessoas competentes sob o foco resolução de problemas, habilidades técnicas para operadores, mantenedores e inspetores com capacidade de enxergar perdas e atacá-las.

– Principal atividade:

  • Mapear os conhecimentos necessários e possuídos.
  • Analisar gaps, e definir plano de treinamento.
  • Desenvolver sistema de desenvolvimento de competências para todos inclusive formação especialista e recrutamento.
  • Promover centro treinamento com os materiais e as ferramentas necessárias.

11) PILAR MEIO AMBIENTE/ENERGIA:

  • usar corretamente os recursos naturais e materiais disponíveis na fábrica.

– Por que se faz?

  • Este pilar é uma subdivisão do pilar Meio Ambiente, contudo, com status de independente por combater perdas relacionadas ao consumo de energia.

– Principais Objetivos:

  • Redução máxima do consumo de energia.
  • Uso energias alternativas.
  • Restauração equipamentos de grande consumo.
  • Conscientização ambiental.
  • Monitoramento online do consumo de energia.

– Principal atividade:

  • Auditorias internas e cumprimento norma ISO 14001.
  • Controle por equipamento do consumo energia.
  • Elaborar kaizen de melhoria para redução de consumo e uso energia alternativa.
  • Melhoria condição dos equipamentos.

PILARES GERENCIAIS

Estes pilares avaliam o desempenho da direção da empresa na aplicação dos conceitos do WCM:

– COMPROMISSO DA DIREÇÃO
– CLAREZA NOS OBJETIVOS
– ROTA CLARA DO WCM
– ALOCAÇÃO DE PESSOAS QUALIFICADAS
– COMPROMISSO DA ORGANIZAÇÃO
– COMPETÊNCIA DA ORGANIZAÇÃO
– TEMPO E BUDGET
– NÍVEL DE DETALHE APROPRIADO
– GARANTIR MOTIVAÇÃO DOS OPERADORES

FERRAMENTAS PARA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

O WCM é formado pela aplicação dos 11 pilares. Cada perda do processo pode ser atacada utilizando-se usando uma das ferramentas abaixo:

  • Matriz QA
  •  5W1H
  •  4M
  •  5 Por quês
  •  SOP
  •  Poka Yoke
  •  Análise VAA e NVAA
  •  MURI
  •  MURA
  •  MUDA
  •  Gráfico Espaguete
  •  Kanban
  •  Kaizen
  •  Quick Kaizen
  •  Standard Kazen
  •  7 Ferramentas da Qualidade
  •  FMEA
  •  SMED
  •  VSM
  •  DOE
  • 5S 5T

Conheça mais sobre o Black Belt: https://www.gradusct.com.br/2018/09/14/o-black-belt/

Saiba mais em: https://www.gradusct.com.br/?p=7232&preview=true

Controle estatístico de Processo

10

Comente