Scrum: O que é?

Scrum, um dos procedimentos mais praticados atualmente, foi utilizado com sucesso em Desenvolvimento de software de computador nas últimas vinte décadas. Enquanto Scrum tem sido praticado em um ambiente de software comercial, a metodologia foi empregada com sucesso para instrução, fabricação e uma série de outros tipos de empresas.

Como outros métodos Lean e Agile, o Scrum otimiza recursos limitados e gera muito mais eficiência na condução dos projetos e processos. O Scrum permite que as equipes operem e auto-organizem a velocidade dos trabalhos, sem interferências externas.

Isso ajuda as equipes a atingirem sua plena capacidade e liberar a liderança para se concentrar na visão da organização e no alinhamento das tarefas do dia-a-dia para atingimento das metas.

Muitas camadas adicionais de padrões e práticas foram desenvolvidas nos últimos anos, capacitando o Scrum a lidar com as inevitáveis ​​complexidades da vida real.

Mas o que segue é uma descrição dos termos e componentes fundamentais do Scrum.

Scrum

Conquiste e divida. Scrum divide trabalhos complicados em partes menores e mais fáceis e projetos longos em projetos menores com finalização e resultados mais rápidos, os quais são chamados de “sprints”.

Quando o trabalho complicado é dividido em partes menores, é mais simples mapear exatamente o que tem que ser realizado. Com um roteiro transparente, a equipe pode começar a trabalhar rapidamente, facilitando o entendimento da equipe e, por conseguinte a velocidade do início e término dos trabalhos.

Ao dividir grandes projetos e tarefas em pequenos grupos, o Scrum capacita as organizações a trabalhar com mais foco, gastando menos tempo com comunicação de detalhes.

Coordenar se torna muito mais fácil, pois coordenar uma equipe de cinco indivíduos é mais simples do que uma de 20.

O princípio de dividir e conquistar também funciona ao dividir grandes projetos em uma coleção de “sprints”. É mais fácil planejar por curtos períodos de tempo porque há menos variáveis envolvidas.

Pense em escrever um romance. Escrever um capítulo de cada vez é mais simples do que escrever um livro inteiro de uma vez. Este procedimento é iterativo porque permite que se use o aprendizado de um capítulo já escrito no próximo, ou seja, é uma melhoria contínua.

Inspecione e adapte

Quando o trabalho é dividido em parte simples, pode ser concluído num período de tempo menor, agilizando o processo de entrega de um processo ou produto, tornando possível coletar feedback dos clientes mais rapidamente.

Melhore o produto com base não apenas no que aprenderam durante o desenvolvimento e produção, mas também de indivíduos interagindo com o ele. Fazendo uma analogia com a criação de um livro, o autor pode corrigir o curso do livro, baseado nos feedbacks dados por pessoas selecionadas para avaliar um capítulo.

É muito interessante este conceito, pois sem dúvida alguma é um processo Lean, pois evita desperdícios relativos a retrabalhos, tanto no caso da criação de um livro, quanto no desenvolvimento, produção e entrega de um produto.

Transparência

Scrum faz tudo funcionar melhor e com mais clareza. Não há segredos sobre o que deve ser feito, quem está fazendo, quando entregar e também como está sendo realizado.

Para obter transparência, o Scrum utiliza várias ferramentas compartilhadas para monitorar cada atividade e tarefa prevista dentro de um “sprint”. Isso torna mais simples para que todos entendam como é importante que todos estejam no prazo e alinhados.

Com esta estratégia e ferramentas, é possível responder se:  a equipe está no caminho certo para concluir todo o trabalho?  Como esta sendo realizado o trabalho? Quem são os responsáveis e as datas?

O Scrum também aplica uma série de reuniões, também chamadas de cerimônias, para aumentar transparência. Estas reuniões ocorrem regularmente, e são feitas para
facilitar a comunicação da equipe.

Aqui está um resumo rápido :
• A preparação da sprint: é quando a equipe determina o que precisa ser feito no sprint que esta a espera da equipe para ser desenvolvido.
• O scrum diário: é quando a equipe precisa listar e remover barreiras que estão afetando o sprint.
• A revisão do sprint: acontece no final de um sprint para coletar feedback sobre o trabalho que a equipe acabou de finalizar, ou seja, um sprint.
• A retrospectiva do sprint: permite que a equipe revise os procedimentos usados no sprint, os adapte, e faça os levantamentos do que precisa ser melhorado.

Papéis

A equipe é toda a gente que trabalha para a conclusão do produto, quer seja um serviço, um processo ou mesmo um produto. É idealmente constituída por três a nove pessoas, incluindo o scrum master, o product owner e a equipe central.

É essencial que a equipe inclua todos os conjuntos de habilidades necessários para entregar o produto.

No Scrum, isso é chamado de equipe multifuncional. Além disso, deve haver pelo menos duas pessoas na equipe que possam concluir qualquer item no backlog do produto (backlog do produto é uma lista de tudo o que poderia ser feito durante a vida do projeto para atender o que o cliente quer.).

Isso ajuda a eliminar as dependências das habilidades de um membro da equipe em específico, caso o colega de trabalho adoeça, saia de férias ou passe para outro emprego.

Não há gerente de equipe no Scrum. Em vez disso, a equipe organiza e gerencia com um alto grau de autonomia e responsabilidade. A equipe, com orientação do scrum master, decide o que pode realizar em um sprint e como isso pode ser feito.

O scrum master é um treinador, não um chefe. Ele ou ela não tem autoridade sobre a equipe. Em vez disso, o scrum master assegura que a equipe está funcionando da melhor maneira possível, ajudando a identificar e remover impedimentos.

Um impedimento é qualquer coisa que atrase ou impeça a equipe de completar o sprint. O scrum master também garante que a equipe esteja se comunicando bem e usando a estrutura da forma mais maximizada possível.

Isso nos leva ao proprietário do produto (PO – product owner). O proprietário do produto é o membro da equipe responsável pelo sucesso comercial do produto. Como tal, o PO deve saber o que o cliente quer e o valor comercial relativo desses desejos.

Ele traduz esses desejos no backlog do produto e os ordena de acordo com o valor comercial (com os itens mais valiosos no topo). Para assegurar o sucesso do produto, o pedido deve controlar a ordem do backlog do produto.

No entanto, a equipe é responsável pelo backlog da sprint. Por esse motivo, o proprietário do produto deve gastar cerca de metade de seu tempo trabalhando com a equipe para garantir que o trabalho no backlog da sprint reflita a visão do backlog do produto.

A outra metade do tempo do proprietário do produto deve ser consultada com clientes e partes interessadas para garantir que o backlog do produto reflita suas necessidades.

Qual a estrutura do Scrum?

Dentro do escopo, ou do “framework” do  Scrum quando da execução de um sprint, estão duas ferramentas compartilhadas, três papéis bem delimitados, e quatro reuniões dentro de um período definido. Esta estrutura permite maior transparência, melhor comunicação e rápida adaptação para mudanças que naturalmente ocorrem.

A execução de sprints tradicionalmente varia de um a quatro meses, sendo este tempo suficiente para a equipe produzir uma mudança significativa no produto ou no objeto de melhoria do sprint.

Ferramentas Compartilhadas

A ferramenta compartilhada mais importante no Scrum é o backlog do produto. Simplificando, o backlog do produto é uma lista de tudo o que poderia ser feito durante a vida do projeto para atender o que o cliente quer.

O backlog do produto é dividido e definido em itens que podem ser entregues independentemente uns dos outros.

Para usar o exemplo do livro novamente, cada capítulo deve poder ser escrito independentemente do próximo capítulo. A capacidade de conquistar o projeto em partes independentes impulsiona a capacidade do proprietário do produto de inspecionar e adaptar o plano.

O proprietário do produto (mais sobre essa função abaixo) solicita o backlog do produto de acordo com o valor comercial de cada item.

Itens com um valor comercial alto são colocados na parte superior, itens com um valor comercial baixo são encontrados na parte inferior. Como regra geral, 80% do valor de um produto para o usuário final está em 20% de seus recursos.

O backlog da sprint é a segunda ferramenta, e contém todas as coisas que devem ser concluídas no final da sprint, e precisa refletir a prioritária do backlog do produto.

Quando o backlog do sprint é finalizado, as alterações não devem ser feitas, exceto em raras condições. Essa limitação ajuda a equipe a manter o foco restringindo as interrupções e alterações do escopo.

O backlog da sprint é transferido para o quadro scrum. Um quadro scrum tem três pilares: Backlog da Print, À fazer, Fazendo, em Revisão e Feito. Cada ação no backlog da Sprint é colocada na coluna “A fazer”.

scrum
Fonte: http://movimentoimpactoglobal.com.br/sobre/

Os membros da equipe começam o definem um trabalho escolhendo um item no topo desta coluna “À fazer”, e depois transferindo para a coluna “Fazendo”.

Quando terminar, o trabalho é transferido para o próximo a última coluna, “Feito”.

Quadros Scrum podem ser físicos ou eletrônicos, mas é importante que apelem para o gerenciamento visual para que  toda a equipe possa ver a evolução e que fiquem ainda mais comprometidos.

Faça nosso treinamento WHITE BELT gratuitamente.

Basta acessar o link abaixo, e em 5 segundos já estará acessando o treinamento:

https://www.gradusct.com.br/

yellow belt

Comente