vsm
Fonte: https://creately.com

 

VSM e seus benefícios

VSM é uma sigla de uma expressão em inglês, o Value Stream Mapping. Pode-se traduzir livremente para o nome de uma ferramenta de qualidade, chamada de Mapeamento do Fluxo de Valor, que identifica o processo relacionado à produção de algo – seja um produto ou serviço. Ou seja, são as informações sobre todas as etapas, processos, materiais, atividades e tempo que se leva dentro do que esta sendo analisado.

O Mapeamento do Fluxo de Valor é uma maneira eficiente de reunir informações diretamente ligadas ao lead time, padronização da metodologia Lean que indica o tempo computado do início ao fim de uma atividade. O Fluxo permite melhorar a performance em cada uma das etapas relacionadas ao processo de produção, por exemplo.

Entender a fluidez do Mapeamento do Fluxo de Valor permite incutir processos de melhoria contínua em qualquer uma dessas etapas avaliadas, aplicando o conceito do Lean Manufacturing de uma maneira ampla, global e também cirúrgica, já que possibilita a visualização do detalhamento, quando necessário.

Pode-se dizer, inclusive, que o Mapeamento do Fluxo de Valor é o início do processo, já que ele pode dar a partida para uma análise mais profunda da cadeia de valor do produto ou serviço.

Mas vamos ser práticos: como se aplica o VSM sob a filosofia Lean Seis Sigma? 

O primeiro passo é entender de que maneira o Mapeamento de Fluxo de Valor impacta na cadeia produtiva, identificando como minimizar atrasos, eliminar desperdícios ou prejuízos ligados à essa análise. Para isso, é preciso desenhar os processos individuais e utilizar a ferramenta do VSM para:

  • Eliminar tarefas que não agregam valor
  • Otimizar o tempo entre cada atividade, inter-relacionada
  • Redesenhar processos para que sejam mais efetivos
  • Verificar a compatibilidade deles com os índices de satisfação do cliente

Vale lembrar que, como o VSM é uma ferramenta, sua aplicação é extremamente assertiva nos projetos Lean, e pode permitir uma representação gráfica do processo, suas etapas, recursos humanos, tempo, produtividade e matérias-primas.

Para aplicar o VSM, basta:

  • Definir o fluxo a ser analisado e o objetivo
  • Definir o que será coletado (tempo, setup, produtividade, etc.)
  • Destrinchar seu funcionamento
  • Criar o mapa ideal
  • Desenvolver o mapa futuro
  • Fazer pilotos
  • Definir planos de ação
  • Acompanhar planos de ação e resultados

O Mapeamento do Fluxo de Valor é, portanto, uma maneira ideal de determinar os desperdícios envolvidos em qualquer processo e, por seu detalhamento, é possível evoluir cada tarefa sob o ponto de vista do cliente. Isso é vital para que a ferramenta seja, de fato, um instrumento de adição de valor ao processo.

Essa visão sistêmica dada pelo Mapeamento de Fluxo de Valor também pode auxiliar no processo de confiabilidade, porque:

  • Revela estados/etapas potenciais para melhoria, assim como identifica os problemas a serem atacados.
  • Ainda que balize processos ligados à ‘superfície’, a ferramenta treina a visão para camadas profundas de cada atividade, concentrando a atenção dos envolvidos ao cenário real.

Dito isso, é necessário saber exatamente os benefícios diretos do VSM. Os gaps e prejuízos identificados por ele estão relacionado a:

Estoque:

Mostra as falhas no planejamento

Diminui tempo de espera

Reduz setups

Ajuda a definir prioridade

Auxilia na definição de aquisição de matéria-prima

Elimina papel ou documentação impressa

 

Produção excessiva:

Permite antecipação e mais agilidade

Quantidade aumentada

Priorização de trabalhos

Atender o que foi requisitado, sem desperdícios

 

Tempo de Espera:

Diminui desperdícios ligados à liberação ou autorizações

Minimiza tempo de utilização de equipamentos, materiais e processos de comunicação analógicos (ligação, documento, assinatura)

 

Movimentação:

Layout ou mapa de ferramentas e materiais

Falta de avaliação dessa movimentação

Permite ajustar assertivamente o 5s

Verifica a estação de trabalho

 

Defeitos e falhas:

Denota treinamentos ou defasagem de conhecimento da equipe

Processos de trabalho não padronizados

Falta de métricas de KPIs, que medem a performance

Poka-Yokes insuficientes

 

Descarte:

Mostra onde está o retrabalho ou revisões excessivas

Checa atividades interdependentes dos colaboradores

Identifica e permite reavaliar inspeções e processos de obtenção de assinaturas

 

Transporte:

Define grandes distâncias dentro da área interna

Papéis e documentação que circulam por diversos departamentos da empresa

 

Como visto o VSM é uma ferramenta que gera fortes resultados quando aplicada corretamente.

 

White Belt

CEO GRADUS

 

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.